ÓPERA DAS PEDRAS I

ENSAIO DE JEAN GALARD

 

A obra de Denise Milan é sustentada por uma energia pouco comum e por uma evidente força de convicção. Denise compartilha a vida e os sentimentos das pedras que ela anima.Qual é a natureza desta convição? Crença? Invenção? Sabedoria? Fé?

Uma tal atitude provoca uma interrogação que é proxima, parece, com as questões essenciais colocadas pelas mitologias, pelas cosmogonias e mais especialmente (ou mais abrangentemente?) pela atividade artística. Como esta interrogação, se orienta (ou desorienta) pela associação dos diversos meios de expressão mobilizados na obra «total» como é a Ópera das pedras?

 

Jean Galard é ensaísta, foi professor de estética no Departamento de Filosofia da USP. Dirigiu diversos organismos culturais, entre os quais o Centre Culturel Franco-Nigérien, de Niamey, a Maison Descartes, em Amsterdã, o Institut Français d’Amérique Latine, no México, a Association Dialogue Entre Les Cultures, em Paris. Foi Diretor cultural do Museu do Louvre, de 1987 a 2002.